Pular para o conteúdo

Century Data

Início » O que é cyber security e como implementá-la na sua empresa

O que é cyber security e como implementá-la na sua empresa

Hoje em dia o compartilhamento de dados entre sistemas precisa ser ainda mais protegido de invasões e ataques. Companhias de vários segmentos tiveram de digitalizar os seus processos nos últimos tempos, tornando-as alvos de criminosos virtuais. Estas são pessoas com conhecimento em explorar vulnerabilidades em sistemas e redes de computadores, de modo a executar invasões e ataques em organizações em geral.

O que é cyber security e como implementa-la na empresa
Foto de Nikita Belokhonov no Pexels

Por isso, neste artigo, vamos trazer detalhes sobre o que é e como funciona, na prática, o cyber security. Explicaremos como ele se diferencia da segurança da informação, quais os seus tipos e as melhores práticas a serem adotadas. Boa leitura!

O que é cyber security e como ele se diferencia de segurança da informação?

Visto que existem diversas ameaças na internet, fez-se necessário criar um conjunto de práticas que evitassem suas ações em computadores e demais dispositivos. O cyber security, ou cibersegurança, possui esse propósito, sendo importante salientar que isso não é o mesmo que segurança da informação.

Podemos dizer que o cyber security é uma área responsável por resguardar dados em meio virtual. Já a segurança da informação é mais abrangente, englobando não só o cyber security, mas também a proteção de dados dos meios físicos e impressos. 

Por que investir em cyber security?

Uma das principais justificativas do investimento em cyber security é a  Lei Geral de Proteção de Dados, ou LGPD. Empresas precisam se adequar a esta nova legislação, que visa resguardar dados de pessoas físiccas  fornecidos em formulários e demais meios de captura de informações. Uma vez expostos na rede, os dados de usuários se tornam muito vulneráveis a diversos tipos de operações ilícitas, como fraudes bancárias. O cyber security é crucial nesse sentido, reduzindo sensivelmente o risco de os dados de clientes e colaboradores serem expostos na rede de forma indevida.

Outro fator importante, devido a crise sanitária do coronavírus, muitas empresas precisaram se digitalizar, implicando no aumento da preocupação em relação à cyber security.  Vale salientar que não investir em cyber security não implica somente em perdas financeiras para grupos hackers criminosos. As companhias estão avaliando os riscos de que a falta de um robusto sistema de segurança pode causar, como a total paralisação das operações. 

A consultoria Gartner realizou uma projeção sobre o quanto as empresas investiram em 2021 para evitar invasões em suas redes e sistemas. Estamos falando em valores acima dos 150 bilhões de dólares em todo o mundo, um aumento de 12,4% comparado com 2020.

    Para a sua segurança, mantenha-se informado!

    Inscreva-se em nossa página e fique por dentro dos principais assuntos que envolvem a cibersegurança.

    Quais os tipos de segurança cibernética?

    Podemos subdividir a  segurança cibernética em cinco tipos. São eles:

    1. Segurança cibernética de infraestrutura crítica: não só empresas do setor privado, mas também órgãos públicos precisam ter uma segurança robusta de infraestrutura crítica, visando resguardar sistemas, redes e ativos de TI. A infraestrutura crítica compreende setores vitais na economia de um país, como transporte, água, energia, telecomunicações e saúde. 
    2. Segurança da rede: lida com as vulnerabilidades na arquitetura de rede e sistemas operacionais. Na prática, além de servidores e hosts, a segurança de rede engloba protocolos, firewalls e pontos de acesso sem fio;
    3. Segurança na nuvem: lida com dados, infraestrutura de TI e sistemas hospedados na nuvem;
    4. Segurança IOT: além de computadores e celulares, muitos outros dispositivos tais como quiosques, pontos de venda de varejo, gateways inteligentes estão conectados à internet e inspiram cuidados, relacionados ao risco de invasões e sequestro de dados;
    5. Segurança do aplicativo: durante o desenvolvimento de uma aplicação, é possível encontrar algumas falhas que podem ser de codificação ou design, por exemplo. Logo, o intuito da segurança do aplicativo é lidar com essas possíveis vulnerabilidades.

    Quais as melhores práticas de cyber security?

    A seguir, falaremos sobre algumas práticas de cyber security a serem adotadas. Estas podem, inclusive, lidar com aqueles dados mais críticos, evitando o vazamento e promovendo a melhor experiência de uso por parte de colaboradores e clientes. 

    Quais as melhores práticas de cyber security?
    Foto de Sora Shimazaki no Pexels

    Gerenciamento de identidade de acesso

    Também conhecido por IAM (Identity and Access Management), consiste em gerenciar a identidade de acesso provendo as devidas funções e privilégios aos usuários. Em outras palavras, algumas informações críticas ou confidenciais do negócio só são acessadas por algumas pessoas, que podem ser da gerência ou diretoria, por exemplo.

    Plataforma abrangente de segurança de dados

    Uma plataforma abrangente permite monitorar em tempo real as vulnerabilidades que podem afetar redes e sistemas. Com o uso de backups e criptografia, dificulta-se muito a ação dos criminosos, exigindo um elevado esforço computacional na quebra dos algoritmos robustos de criptografia.

    Informações de segurança e gerenciamento de eventos

    Também conhecidas pela sigla SIEM (Security Information and Event Management, em inglês), as informações de segurança e gerenciamento de eventos têm por função detectar atividades suspeitas automaticamente. Em outras palavras, mesmo que o usuário tenha a sua devida função e privilégio de acesso, todas as suas atividades são monitoradas pelo SIEM.

    Para ser mais efetivo, o SIEM usa Inteligência Artificial. Na prática, a IA ajuda, por exemplo, na priorização automática na resposta às ameaças, com base naquilo que foi definido no plano de gerenciamento de risco da organização.

    XDR

    O Extended Detection and Response é uma tecnologia de segurança cibernética mais moderna que o EDR (Endpoint Detection and Response). Antes, as tecnologias de segurança lidavam somente com computadores e servidores; hoje, no entanto, é preciso lidar com dispositivos móveis e equipamentos inteligentes. Com tantos endpoints, viu-se a necessidade de atualizar o EDR, de modo a automatizar respostas e aumentar a visibilidade desses dispositivos.

    O XDR atende também uma importante necessidade das organizações: o monitoramento unificado de atividades. Significa que esta nova tecnologia não mais trabalha com silos, sendo que, agora, o que existe é um único conjunto de dados. Dessa forma, ganha-se agilidade na hora de detectar e responder à altura toda e qualquer atividade suspeita na rede.

    Uma segurança integrada também tende a ser mais efetiva para evitar ataques do tipo ransomware. Antes mesmo de chegar ao endpoint e sequestrar dados ou bloquear funções básicas do dispositivo, a ameaça é bloqueada pelo XDR. Para que isso aconteça, existe um conjunto de regras definidas por usuários, ou ainda, a própria tecnologia possui a sua lógica embutida.

    Foto do site pixabay.com

    Conclusão

    O cyber security lida com ameaças na rede, que podem causar danos às empresas e organizações em geral. Nós da Century Data somos parceiros SentinelOne, umas das soluções de XDR mais modernas do mundo, de modo a reforçar o nosso compromisso em promover segurança aos seus dados. Atuamos como uma consultoria, auxiliando os nossos clientes com a implementação e uso correto da solução.

    Entre em contato conosco e obtenha mais informações de como a Century Data pode ajudar sua empresa a resguardar seus dados com o cyber security!

    Baixe Gratuitamente

    Novidade! Temos dois e-books incríveis e gratuitos, para você baixar, se informar e ficar livre de uma ameaça cibernética:

    Ransomware: o guia completo
    7 situações que permitem a invasão da sua empresa por ransomwares

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.